Quando substituir um estrado

Jul 17, 2023 | CONSELHOS, PRODUTOS | 0 comments

Os suportes formam parte importante das nossas camas, e representam os alicerces do nosso conjunto de descanso. Sem importar se falamos de um estrado, um sommier (em qualquer das suas vertentes: rebatível, fixo ou fix), base revestida ou cama de estrado duplo, chega um momento em que a sua vida útil acaba e precisam de ser substituídos. Mas, somos conscientes de quando é o momento adequado para os substituir?

Neste artigo vamo-nos centrar num destes suportes. Concretamente, nos mais utilizados de maneira histórica. Ou seja, falamos dos estrados.

O que é um estrado? Características e tipos

Como todos os suportes existentes, os estrados são os responsáveis de proporcionar suporte e estabilidade ao colchão. Se tivéssemos que sintetizar uma definição comum, poderíamos dizer que é uma estrutura de suporte de cama que se coloca debaixo do colchão.

Historicamente, os estrados estavam feitos de madeira e metal, mas na atualidade acabaram por evoluir para uma combinação superior. Tem apenas de olhar para o catálogo da Maxcolchon para encontrar uma composição de tubo de aço, reforçado com uma barra central, ripas de faia vaporizada, ou tacos de polietileno de alta resistência.

Em definitivo, um estrado é um tipo de suporte cuja principal função é a de proporcionar uma base sólida e plana para que repouse o colchão e, portanto, o corpo do dormente.

Existem vários tipos de estrados disponíveis no mercado, mas no catálogo da Maxcolchon poderemos encontrar os seguintes:

Estrado de ripas

Existem no mercado vários tipos de estrados de ripas. Por um lado, temos os de ripas largas e, por outro, os multilâminas. Os de ripas largas permitem maior suporte ao colchão, garantindo maior firmeza ao descanso. Robusto, resistente, e mantém a perfeita ventilação dos colchões. A ripa larga permite maior suporte ao colchão, oferecendo assim maior firmeza ao descanso. E, claro, também providencia uma grande ventilação para o próprio colchão.

No entanto, os estrados multilâminas são capazes de reforçar a zona lombar para um melhor suporte. Além disso, melhoram a respirabilidade do colchão e, portanto, evitam a humidade. A nível de descanso, podem minimizar os movimentos e limitar o risco de sofrer com os temidos microdespertares. Os estrados multilâminas da Maxcolchon estão fabricados com ripas de madeira de faia vaporizada, flexíveis em função do peso, e agrupadas de três em três.

Estrados articulados

Os estrados articulados a motor da Maxcolchon têm uma articulação em cinco planos, de modo a oferecer uma máxima receção a todas as partes do corpo do dormente. Podem ser acionados através de motores silenciosos e sempre homologados segundo as normativas da União Europeia. Contam com reguladores de firmeza na zona lombar, que lhe irão proporcionar uma especial receção em dita zona.

Quando devemos substituir um estrado?

A nível geral, tanto os colchões como os suportes têm uma vida útil estabelecida de dez anos. Para além dessa década, os diferentes elementos que formam o conjunto de descanso perdem as suas qualidades. No entanto, a frequência com a qual necessita de substituir um estrado pode variar em função de certos parâmetros:

– O uso e o tratamento que se lhe dá

– O peso que suporta

– Se dormem duas ou apenas uma pessoa sobre ele

– A própria qualidade do estrado

Se o seu estrado tem mais do que essa década, o mais provável é que tenha perdido grande parte da sua capacidade de suporte e de estabilidade. Nesse momento poderão aumentar as possibilidades de escutar mais ruídos quando movemos a cama. Despertar-se com dor de costas, ou com algum tipo de rigidez corporal depois de dormir, também funcionará como sinal de alarme.

Também é importante assinalar que um estrado de elevada qualidade, como os da Maxcolchon, e sempre e quando tenham recebido uma manutenção e uso adequados, pode superar esses dez anos de uso. 

Sinais que anunciam que há que substituir o estrado

– Ruído: se o estrado começa a emitir ruídos ante qualquer movimento, isso é sinónimo de que chegou o momento de o retirar. O ruído pode ser provocado por um deterioro, como por exemplo, que as peças que o compõem estejam danificadas. Quer dizer, o estrado já não é o suficientemente sólido para suportar o peso dos dormentes.

– Desgaste: com o inevitável passo do tempo, o estrado pode-se desgastar, o que faz com que seja menos efetivo para suportar o colchão. Como dissemos, a duração média está fixada nos dez anos.

– Dor de costas: caso se desperte com dor de costas ou rigidez, é possível que o estrado já não garanta o suporte adequado para o descanso.

Outros motivos pelos quais devemos substituir o estrado

Substituir um estrado é necessário por outros motivos igualmente importantes. Ainda que não o tenhamos comentado nos pontos anteriores, um estrado desgastado pode afetar a qualidade do seu sono. Ou seja, falamos do principal motivo da existência de qualquer elemento do nosso conjunto de descanso.

Um estrado que já não é capaz de proporcionar suficiente suporte e estabilidade significa que não podemos dormir bem e que nos vamos despertar com problemas físicos (dor de costas, pescoço, e outras partes do corpo), e incluso anímicos (stress, cansaço, falta de memória, ansiedade e depressão).

Por último, destacar que um estrado desgastado também pode ser um terreno fértil para o aparecimento de uns pequenos elementos nocivos: ácaros, mofo, pó, assim como outras substâncias nocivas e alergénicas. Ou seja, detonantes de alergias e problemas respiratórios, como a asma.

Como escolher um estrado novo?

Depois de entendermos que todos esses sinais de alarme nos indicam o mesmo (substituir o estrado), é importante saber qual será o mais adequado para se converter no nosso novo suporte.

Basicamente, existe uma única premissa fundamental na hora de adquirir um novo estrado: devemos comprar aquele modelo que se adapte às nossas necessidades. Mas, como podemos lograr este objetivo? Cumprindo com os seguintes requisitos:

– Tamanho: as dimensões do suporte devem ser as mesmas que as do colchão.

– Resistência: um estrado tem que suportar o peso dos dormentes.

– Compatibilidade com o colchão: existem suportes que não combinam com colchões de determinadas composições. Não hesite em consultar com os especialistas da Maxcolchon antes de fazer a escolha final.

– Postura na hora de dormir: dorme de lado, de barriga para cima, ou de barriga para baixo? Não é despropositado ter em conta a nossa posição na hora de dormir. Dormir de lado é sinónimo de necessitar de um suporte mais elástico, como o estrado. Desta maneira, aliviará a pressão sobre ombros e quadris.

– Paciência: quer faça a compra online ou numa loja física, desde a Maxcolchon aconselhamos a que seja paciente e comprove os tipos de estrados que existem, e quais as características que oferece cada um. Não hesite em contactar connosco para que possa esclarecer todas as suas dúvidas. E, claro, aqui irão entrar condicionantes como o orçamento disponível e a marca pela qual aposte.

Em definitivo, quando o estrado tiver ultrapassado a fronteira dos dez anos de duração, quando fizer ruídos quando se mova na cama, ou quando lhe produza um mal-estar físico ao despertar, chegou o momento de o substituir.

Quando escolher um novo estrado, confie apenas em marcas como a Maxcolchon, especialistas fabricantes, e que oferecem garantias como a das 100 noites de teste. Reflita sobre as suas necessidades, a sua postura favorita na hora de dormir, e se dorme só ou acompanhado.

Os suportes, quer sejam estrados ou não, são uma parte essencial do nosso conjunto de descanso. Os alicerces sobre os quais edificaremos a qualidade do nosso descanso.