Apneia do Sono em Crianças: O Que é, Tipos e Soluções

Mai 1, 2024 | APNEIA DO SONO | 0 comments

Quiçá possa pensar que a apneia do sono é uma enfermidade que afeta exclusivamente os adultos. No entanto, a verdade é que a apneia do sono também pode afetar as crianças, e mesmo que isso não resulte em algo demasiado grave, pode afetar a vida diária dos mais pequenos.

Ainda assim, existem diferenças entre a apneia do sono em adultos e a apneia do sono em crianças. Regra geral, os adultos têm tendência a padecer de sonolência diária, enquanto que nas crianças o mais provável é que nos encontremos com problemas de comportamento. Além do mais, enquanto que nos adultos a causa da apneia costuma ser a obesidade, a apneia do sono infantil costuma aparecer devido ao aumento excessivo das amígdalas e adenoides, ou devido a outras causas diversas.

O que é a Apneia do sono em crianças?

Segundo a Sociedade Espanhola de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, a síndrome da apneia obstrutiva do sono pode ser definida como o aparecimento de episódios recorrentes de obstrução da via respiratória superior de, pelo menos, 10 segundos de duração, e que ocorrem durante o descanso.  Os homens costumam sofrer com este problema mais do que as mulheres: cerca de uns 4 por cento da população masculina sofrem com esta enfermidade, enquanto que nas mulheres esse valor ronda os 2 por cento.

A apneia do sono infantil é um transtorno do sono que faz com que as crianças tenham pausas na respiração enquanto dormem.

Nas crianças, esta doença pode chegar a ser problemática. Aquelas crianças que sofrem com ela acabam por sofrer uma interrupção na sua respiração enquanto dormem, devido a que as suas vias respiratórias estão parcialmente obstruídas ou porque sofreram um estreitamento.

Sintomas da apneia do sono em crianças

Uma criança que padece de apneia do sono pode apresentar os seguintes sintomas a dormir:

– Sono intranquilo

– Respiração pela boca

– Pausas na respiração

– Ronquidos

– Terrores noturnos

– Enurese noturna

– Tosse, sufoco ou chiadeira

De todas as formas, e ao contrário da crença popular, a apneia do sono infantil não tem porque levar consigo ronquidos, especialmente nas crianças pequenas ou nos lactentes. O mais provável é que sofram interrupções no sono, principalmente. Durante o dia, estas crianças poderiam apresentar:

– Hiperatividade

– Dificuldades para prestar atenção

– Problemas de comportamento

– Problemas para aprender

– Pouco aumento de peso

Por outro lado, esta apneia do sono poderia originar algumas alterações e complicações no que diz respeito ao crescimento dos mais pequenos da casa. Entre eles, poderiam surgir atrasos no crescimento ou problemas cardíacos.

O que causa a apneia obstrutiva do sono em crianças?

São muitas as causas pelas quais as crianças podem sofrer com apneia do sono, mas como dizíamos anteriormente, uma das causas comuns costuma ser um crescimento excessivo das amígdalas, assim como as vegetações, que podem alterar a respiração normal da criança.

Outras possíveis causas da apneia do sono infantil são algumas como:

– Ter uma mandíbula pequena

– Uma malformação no palato, na língua ou nas vias respiratórias

– Uma garganta demasiado estreita

Ainda assim, é importante ter em conta que os sintomas da apneia de sono não só ocorrem pela noite. Se o seu filho tem um sono noturno inquieto devido a este transtorno, os sintomas diurnos podem incluir fadiga, dificuldade para se despertar pela manhã, ou mesmo ficar a dormir mais tempo.

É possível que os bebés e as crianças pequenas que têm apneia do sono não ronquem, especialmente aqueles com apneia central. Por vezes, o único sinal da apneia do sono neste grupo de idade é um sono mais perturbado e inquieto.

Tipos de apneia do sono

Como dizíamos, existem dois tipos de apneia do sono que podem afetar os mais pequenos. Por um lado, a apneia obstrutiva do sono é causada por um bloqueio na parte posterior da garganta ou do nariz.

Apneia obstrutiva

Uma diferença importante entre ambos os tipos de apneia é a frequência dos ronquidos. O ronquido pode ocorrer com a apneia central, mas é mais proeminente com a apneia obstrutiva do sono. Isto deve-se a que os ronquidos estão relacionados com a obstrução das vias respiratórias.

Entre uns 7 e uns 11 por cento das crianças sofrem um transtorno respiratório noturno, quer seja apneia do sono, ronquidos, ou qualquer outra coisa. Cerca de 90 por cento desses transtornos podem não estar diagnosticados.

De fato, e tal como afirma uma revisão publicada em 2014, a apneia obstrutiva do sono afeta entre 1 a 5 por cento das crianças. Muitas vezes isto começa quando o pequeno tem entre 2 e 8 anos, e é significativamente mais comum do que a apneia central, tanto em crianças, como em adultos.

Apneia central

Por outro lado, a apneia central do sono costuma acontecer quando a parte do cérebro responsável pela respiração não funciona corretamente. Ao que parece, neste tipo de apneia o cérebro não envia aos músculos respiratórios os sinais normais para respirar.

Efeitos da apneia do sono no descanso das crianças

A apneia do sono não tratada conduz a longos períodos de sono perturbado, o que se traduz em fadiga crónica durante o dia.

Uma criança com apneia de sono não tratada pode ter dificuldades para prestar atenção na escola. Isto pode resultar em problemas de aprendizagem e baixo rendimento académico. Outras crianças desenvolvem também hiperatividade, o que faz com que se lhes diagnostique erradamente com o transtorno por défice de atenção com hiperatividade (TDAH).

Por isso, se suspeita que o seu filho pode ter hiperatividade, o melhor será comprovar também se o seu descanso é normal, ou se existe algum possível sintoma que possa indicar uma apneia do sono. Além do mais, a apneia do sono não tratada poderia ter outras consequências na saúde das crianças, algo que convém consultar com um médico.

Fatores de risco associados à apneia do sono em crianças

Dependendo do tipo de apneia de que estivermos a falar, podem incidir no seu aparecimento uns fatores ou outros.

Fatores de risco da apneia obstrutiva do sono em crianças

Com a apneia obstrutiva do sono, os músculos da parte posterior da garganta colapsam enquanto a criança dorme, o que dificulta a sua respiração.

Investigações como a publicada em 2017 indicam que as crianças afroamericanas têm taxas mais elevadas de apneia obstrutiva do sono, além de apneias mais graves do que as das crianças de outras etnias, ainda que sejam necessários mais estudos para compreender a relação entre a etnia e a apneia do sono nas crianças.

Outros fatores de risco da apneia obstrutiva do sono em crianças podem incluir:

– Antecedentes familiares de apneia do sono

– Afeções médicas como paralisia cerebral, síndrome de Down, ou anomalias no crânio.

Fatores de risco da apneia central em crianças

A apneia central ocorre quando os músculos que controlam a respiração não se ativam. É raro em crianças fora do período natal.

Ter um peso baixo ao nascer é um dos fatores de risco da apneia central. Nos bebés prematuros observa-se uma forma chamada apneia do prematuro. Além disso, outros fatores de risco da apneia central incluem:

– Algumas afeções médicas que afetam o tronco cerebral, a medula espinal ou o coração, como acidente cerebrovascular e insuficiência cardíaca.

– Anomalias congénitas.

Em qualquer caso, ante qualquer sinal de apneia, é importante consultar o pediatra para que este possa examinar o pequeno o mais rápido possível.

Soluções para a apneia do sono

Ante o aparecimento dos primeiros sintomas, o melhor é consultar com um profissional de saúde, para sabermos o que podemos fazer perante este problema. O diagnóstico será levado a cabo mediante as provas que o médico considere oportunas.

O tratamento médico pode incluir medicamentos como os esteroides nasais tópicos, de modo a conseguirmos aliviar os sintomas. Outra das possíveis terapias consiste na terapia de pressão positiva nas vias respiratórias. São utilizadas máquinas pequenas que sopram ar suavemente através de uma máscara e de um tubo que se coloca sobre o nariz e/ou a boca. Em casos extremos, também poderia ser necessário recorrer à extirpação das amígdalas e das adenoides.

Por último, um recurso que também pode ser utilizado para este problema são os dispositivos bucais. Estes movem o osso maxilar inferior e a língua para a frente, de modo a manter abertas as vias respiratórias dos mais pequenos.

Em qualquer caso, como dizíamos, o tratamento mais adequado deverá ser sempre definido por um médico. No que diz respeito ao que podemos fazer em casa para melhorar os sintomas da apneia infantil, alguns remédios caseiros poderiam ser:

– Baixar de peso: caso se trate de uma criança com certa obesidade, é provável que o médico recomende tratar de que a criança baixe de peso. Podemos consultar com o mesmo médico, ou então com um especialista em nutrição, acerca da dieta mais recomendável em cada caso.

– Evitar alérgenos e outros agentes irritantes: o fumo do tabaco e outros contaminantes podem ser prejudiciais para as crianças que sofrem de apneia. Deste modo, ventilar a casa o máximo possível, de modo a evitar que as suas vias respiratórias se irritem, é a melhor opção.

– Um bom colchão infantil, que lhes permita descansar como é devido: a adaptabilidade no descanso pode ser chave na infância, pelo que, desde a Maxcolchon, recomendamos que disponha de um bom conjunto de descanso para o pequeno, que lhe permita descansar da melhor forma possível, mesmo que sofra com esta afeção. Dê uma olhada ao nosso catálogo, e escolha o mais conveniente para a sua condição.